Filme gravado na Aldeia Krahô Pedra Branca, já participou de mais de 50 festivais internacionais e conquistou 11 prêmios, como o Prêmio Especial do Júri da Mostra “Um Certain Regard”, no Festival de Cannes.

 Por Aline Pio – Fonte Prefeitura de Palmas

A Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes e a Fundação Cultural de Palmas exibem o filme “Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos”, de João Salaviza e Renée Nader Messora, em uma sessão especial para os participantes da 30a Etapa do Curso de Formação de Professores em Magistério Indígena, nesta quarta-feira, 10, às 19h, no Cine Cultura.

Participarão da sessão integrantes dos povos Karajá, Javaé, Xambioá, Apinajé, Krahô, Xerente e Krahô Kanela. “Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos” foi gravado ao longo de nove meses na aldeia Krahô Pedra Branca, localizada no Município de Itacajá.

O drama, de classificação livre, teve estreia em 2019, e já participou de mais de 50 festivais internacionais, conquistando 11 prêmios, como o Prêmio Especial do Júri da Mostra “Um Certain Regard”, no Festival de Cannes.

Para o Gerente da Educação Indígena da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes, Waxiy Maluá Karajá, essa será uma oportunidade de unir as discussões em sala de aula, por meio do curso de magistério, com a temática cultural do filme. “Neste 30º Encontro do Magistério, teremos a colação de grau de uma turma com 21 professores, e os demais finalizam o curso em julho de 2021. A troca de conhecimento usando metodologias variadas oportuniza a ampliação do olhar pedagógico dos professores”, ressaltou.

Sinopse

Ihjãc é um jovem da etnia Krahô, que mora na aldeia Pedra Branca, em Itacajá. Após a morte do pai, ele recusa-se a se tornar xamã e foge para a cidade. Longe de seu povo e da própria cultura, Ihjãc enfrenta as dificuldades de ser um indígena no Brasil contemporâneo.

 Foto: Divulgação.


Compartilhar:

Deixe seus Comentario