DJ e produtora cultural que morreu afogada no lago é enterrada em Palmas

0
9

Nivia Lara Moreira dos Santos, conhecida como Nivia Siruc, tinha 25 anos e foi velada em uma funerária da capital, após a chegada de parentes. A DJ era conhecida na noite palmense como Nivia Suric
Divulgação/Redes sociais
O corpo de Nivia Lara Moreira dos Santos, de 25 anos, que morreu afogada no lago é enterrado em Palmas neste sábado (20), no cemitério Jardim da Paz. Ela atuava como DJ e produtora cultural na capital.
O afogamento aconteceu na tarde de quinta-feira (18), em um ponto da Praia do Prata, em Palmas. O corpo da vítima foi encontrado a cinco metros de profundidade e distante 15 metros da margem do lago.
A jovem foi levada para o Instituto Médico Legal (IML) de Palmas e segundo uma amiga de Nivia, a mãe e um irmão, que mora em Anápolis (GO), vieram a Palmas para liberação do corpo e despedida.
Amigos informaram por meio das redes sociais que o velório começou por volta das 23h desta sexta-feira (23) e aconteceu durante toda a noite em uma funerária de Palmas. O enterro está marcado para a manhã deste sábado (20).
LEIA TAMBÉM:
Jovem que morreu afogada em lago era DJ e produtora cultural
Mulher de 25 anos morre afogada em praia após entrar em lago e desaparecer, dizem bombeiros
Nivia se apresentava em bares da capital
Reprodução/ Instagram
Morte precoce
Nivia era conhecida na cena cultural da capital e costumava se discotecar em bares. Segundo amigos, há pouco tempo ela havia começado a produzir eventos culturais. A última festa produzida por Nivia aconteceu na primeira semana de abril, em um bar de Palmas.
Produtores culturais, amigos e colegas de profissão lamentaram a morte de Nivia Suric, como era conhecida. “Ela era uma querida, brincalhona, super animada o tempo todo, ligada no 220, amiga de todo mundo”, disse uma amiga.
A Polícia Militar informou que duas testemunhas disseram ter visto a vítima entrar no lago e foram levadas à Central de Flagrantes para fazer o boletim de ocorrência.
A causa do afogamento de Nivia ainda não foi esclarecida. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, se houver algum indício de crime, o caso será investigado pela 1ª Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (1ª DHPP).
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins